Posologia de darbin

DARBIN com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de DARBIN têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com DARBIN devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.



A citarabina não é ativa por via oral. A posologia e o método de administração variam de acordo com o esquema terapêutico a ser utilizado. DARBIN pode ser administrado por infusão intravenosa ou por injeção subcutânea ou intratecal. Em alguns pacientes ocorreu tromboflebite no local da injeção ou da infusão; raramente relatou-se dor e inflamação nos locais da injeção subcutânea. Na maioria dos casos, a medicação tem sido bem tolerada. Os pacientes podem tolerar doses totais maiores quando recebem a droga por injeção intravenosa rápida do que quando a recebem por infusão lenta. Este fenômeno está relacionado com a rápida inativação de citarabina e com a curta exposição das células normais e neoplásicas susceptíveis a níveis significativos da droga, após injeção rápida. Células normais e neoplásicas respondem aparentemente de modo paralelo a esses diferentes modos de administração; nenhuma vantagem clínica expressiva foi demonstrada para qualquer um deles. Tem sido curtas as remissões induzidas pela citarabina e não acompanhadas por terapia de manutenção. Na terapia de indução de leucemia aguda não-linfocítica, a dose habitual da citarabina em combinação com outros agentes quimio-terápicos antineoplásicos é de 100mg/m2 por infusão intravenosa contínua (dias 1-7) ou 100mg/m2 IV a cada 12 horas (dias 1-7). Deve-se consultar a literatura para as recomendações atuais quanto ao uso em leucemia linfocítica aguda. Uso por Via Intratecal: A citarabina tem sido utilizada por via intratecal em leucemia aguda em doses que variam de 5mg/m2 a 75mg/m2 de superfície corpórea. A frequência de administração tem variado de uma vez ao dia por 4 dias a uma vez a cada 4 dias. A dose mais frequente usada foi de 30mg/m2 a cada 4 dias até que os achados no líquido cérebro-espinhal se normalizem, seguida por tratamento adicional. O esquema terapêutico é geralmente orientado pela gravidade e tipo das manifestações no sistema nervoso central e pela resposta à terapia prévia. Preparação da solução para infusão e estabilidade: DARBIN não deve ser diluído em soluções contendo conservantes se for administrado por via intratecal. DARBIN deve ser diluído com soluções de glicose a 5% e cloreto de sódio a 0,9%, de modo a obter concentrações de no máximo0,1mg/mL. Para reduzir contaminação microbiana, é recomendado que a diluição seja efetuada imediatamente antes do uso e a infusão iniciada assim que realizada a mistura. A infusão deve ser completada dentro de 24 horas após a preparação e o resíduo deve ser descartado. Como regra geral, antes de sua administração, as medicações para uso parenteral devem ser inspecionadas visualmente quanto a partículas em suspensão e descoloração, quando a solução e o frasco o permitirem. Devem ser tomadas as devidas precauções na preparação e descarte das soluções contendo quimioterápicos antineoplásicos. Pode-se utilizar seringas com ajuste Luer-Lock e de largo diâmetro interno para minimizar a pressão e eventual formação de aerossol. A formação de aerossol pode ser diminuída pela utilização, durante a preparação, de agulha ou respiro. Podem ocorrer reações cutâneas associadas com a exposição acidental ao produto. Não se recomenda a manipulação de agentes citotóxicos, como a citarabina, por mulheres grávidas.