Posologia de varikromo

VARIKROMO com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de VARIKROMO têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com VARIKROMO devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.



De modo geral, a dose e a técnica a ser aplicada ficam rigorosamente à critério do angiologista. Porém, é aconselhável não exceder a dose total de 5 mL de VARIKROMO por semana de tratamento esclerosante, sendo melhor a injeção de até 2 mL em duas sessões semanais com intervalo de dois dias entre elas. Como VARIKROMO é especialmente indicado para as micro-varizes superficiais, recomenda-se usar, de preferência, seringa de até 3 mL e agulha com bisel curto e o mais fina possível. As injeções podem ser aplicadas tanto com o paciente em pé como deitado, sendo contraindicado o uso de garrote. Na primeira sessão do tratamento esclerosante, injetar aproximadamente 0,2 mL intravenoso a fim de testar a tolerância individual ou a presença de reações alérgicas. É recomendado o uso de compressão elástica após cada sessão por um período mínimo de 3 horas. Em outras regiões, que não os membros pélvicos, é indicado o uso de proteção do local da punção com esparadrapo. Após 10 a 15 minutos de repouso, com os membros na posição horizontal, o paciente deve caminhar. Na presença de hematomas no dia seguinte ao da aplicação, é aconselhável o uso de cremes ou géis heparinóides a fim de abreviar sua absorção. O VARIKROMO usado com boa técnica, é praticamente indolor mesmo quando houver extravasamento. Não deixa pigmentação, não é tóxico e é fácil de ser injetado, fluindo suavemente pela seringa.